segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Desassossego



O desassossego reside no peito
A inquietude em Minh'alma
Nas profundezas há um agito
É a turbulência que se instala

Desse caos nasce uma estrela
Que em mim resplandece
É o amor que liberta
E o silêncio que ensurdece

Dos desejos e alegrias,
Resignam-se sentimentos
E ficam as utopias

Das palavras t(r)ocadas e amor sublimado
A inexistência em existir,
Daquilo que nunca foi realizado...


Nenhum comentário:

Postar um comentário